sábado, 6 de dezembro de 2008

O meu amor

O meu amor é como a mão, que sente quando toca.

4 comentários:

Mamá disse...

"A Moça e o Moço, quando entre si, passavam-se um embebido olhar, diferente do dos outros; e radiava em ambos um modo igual, parecido. Eles olhavam um para o outro como os passarinhos ouvidos de repente a cantar, as árvores pé-ante-pé, as nuvens desconcertadas: como do assoprado das cinzas a esplendição das brasas. Eles se olhavam para não-distância, estiadamente, sem saberes, sem caso."

João Guimarães Rosa, no conto "Nenhum, Nenhuma".

Joana dos Espíritos disse...

http://www.youtube.com/watch?v=txLPlvkGiP4

O Homem Terra disse...

Que coisa linda Mâ!
É muito lindo mesmo, obrigado. Estou sempre a aprender contigo.
Devo-te tanto. Espero levar uma vida a pagar esta dívida. Para que nunca te vás embora.
Obrigado.


AHahahahah, joana, acabas de me mandar aquela que é para mim a canção mais sensual de sempre. Adoro. Bem vinda ao clube. A menina mamá também faz parte.

Joana dos Espíritos disse...

Que bom! :)