quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Sobre experimentar

Os artistas andam aí todos sem pudor a dizer que fazem experiências, como se todas as experiências não implicassem uma cobaia, e ser uma cobaia não implicasse sofrimento.

É por isso que as experiências se fazem em privadas salinhas escuras e não em grandes salas públicas. Sob o risco de criarmos grandes salas escuras.

Não se deve sorrir quando se diz que se faz uma experiência. Porque é que os cientistas não riem às gargalhadas? Porque não é por acaso que o cientista louco é o vilão de tantas histórias. Devem fazer-se experiências, mas sempre com vergonha. Fazer experiências sem vergonha é feio.

2 comentários:

Joana dos Espíritos disse...

Vivemos numa era experimental e é uma pena, em que o importante é o gesto momentâneo, o acto pouco pensado. O que importa é deitar qualquer coisa cá para fora, mostrar que se está a fazer coisas. Como sou alérgica a isso, as tuas palavras vão direitas ao que penso.

O Homem Terra disse...

:)