segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Os objectos

No dia em que concorri ao sorteio do Green Card, os objectos sobre os quais apoiei a máquina fotográfica com a qual tirei um auto-retrato para enviar para os Estados Unidos da América foram:
A antologia bilingue de poemas do Leonard Cohen, uma compilação de Tanka dos séculos IX ao XI e outra de Haiku, um livro de entrvistas ao Billy Wilder, uma caixa de chocolates que há anos atrás pertencia a uma amiga, a Poesia Toda do Herberto Hélder, a edição em livro do argumento do Manhattan do Woody Allen, uma caixa que roubei do meu antigo emprego porque precisava para arrumar os meus papéis, a Bíblia, uma caixinha cheia de tesouros do outro lado do Atlântico que me foram dados pela mais bela pirata da história, O Culto do Chá de Wenceslau de Moraes, o Medo de Existir do José Gil e um livro de cartoons que o meu pai me deu.
Foi um acaso. Estes objectos, empilhados na vertical sobre a minha secretária, fazem a altura exata que precisava para me fotografar num bom enquadramento.
Se daqui a dezenas de anos toda a minha vida tiver mudado graças a este sorteio, estes objetos estavam aqui comigo. Eles estavam aqui. Estão na fotografia. Estão comigo porque os li. São estas coisas que fazem uma pessoa.
Espero que me dêem sorte.

3 comentários:

Joana dos Espíritos disse...

Essa é uma pilha cheia de altura, em todos os sentidos.

salvo seja disse...

isso é tudo muito bonito mas se calhar esqueceste-te da braguilha aberta quando tiraste a foto.

um abraço do antigo amigo Tiago (o mais novinho) da Rosa movies

O Homem Terra disse...

Sim joana, altíssima, para chegar à américa.

Tiago! Minha mãe, o que é feito de ti?? Grande tiago. Como vieste aqui parar?