terça-feira, 16 de setembro de 2008

O Sonho e a Cidade

Hoje voltei a ver na rua a rapariga mais sensual de Lisboa.

É morena, os cabelos são pretos e lisos, a cara parece uma amêndoa e é elegantíssima. Os olhos parecem duas esferas negras. É sofisticada a vestir e consegue parecer descontraída ao mesmo tempo. Tem um ar destemido e expressões de uma beleza infinita. É daquelas mulheres que só de olhar para elas sabemos que de certeza tem namorado. Provavelmente mais velho que ela uns cinco anos.

Vi-a quatro vezes. A primeira vez foi no DocLisboa. É porventura fácil descobrir quem ela é, porque parecia trabalhar no festival. Foi há dois ou três anos. Voltei a vê-la na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, mas não faço ideia se estudou lá. A última vez que a tinha visto estávamos no Comboio. Entrei na Amadora e por acaso sentei-me virado para ela com uns três lugares de distância. Imaginem quando a vi. Ela foi das que não olha à volta e nunca cruzámos o olhar. A quarta vez foi hoje, há duas horas, na Av. Almirante Reis. Estava parado no semáforo vermelho e, como sou dos que olha à volta, vi-a do outro lado da rua.

Linda. Quase a reconheci só pelo andar. Tinha um casaco preto e uma mala, talvez. Calças de ganga.

Sabem quando têm a certeza que um dia vão conhecer determinada pessoa? Tenho a certeza que um dia vou conhecer esta rapariga. E vai ser deliciosa a ironia de descobrir que a sua personalidade é insuportável. Mas o mais importante nem é isso. O giro é imaginar quando será. Daqui a quinze anos numa esplanada em carcavelos vejo uma menina de 5 anos igual a ela, procuro a mãe e lá estará ela, com o marido e os filhos? Ou um dia vejo-a na televisão e descubro que se tornou famosa? Talvez daqui a trinta anos, já com filhos, eu vá a uma festa em casa de um amigo, com casais amigos dele e a encontre lá. Ou até posso bater contra o carro dela. Ou então na próxima semana apresentam-ma no Bairro Alto.

O fantástico é que ninguém sabe o que vai acontecer. Nem mesmo ela.

15 comentários:

Aurora disse...

ou talvez se encontrem no hi5!
:p

disse...

ela é teu anjo da guarda e tu é q não sabes!

3por1 disse...

pedro a teus tantos convites e depois de finalmente lembrar de ir ver o mail lá cheguei a este blog que se tornou já rotina diária do meu humilde quotidiano, assim sendo encontro hoje aqui o post de que mais gostei, mesmo e por isso aqui ficam as felicitações!
**hihih
(não ao acordo ortográfico!)

O Homem Terra disse...

No hi5 seria genial! Mas ela parece demasiado sofisticada para ter hi5...é uma pena. Ela deve ser daquela malta que era viciada do Hi5 há 4 anos mas agora é fino e só tem Facebook "porque o hi5 é horrível". Será que tem MySpace? Esse se o pessoal não proteger ainda dá pra bisbilhotar. As pessoas já perderam a arte do bisbilhotanço. Amanhã faço um post sobre isso.

--

Meu, se ela é o anjo da guarda tem guardado muito de longe. Talvez eu seja o dela - um dia estou eu a olhar a volta como de costume e salvo-a de um assalto ou assim. Teria todo o gosto.

O Homem Terra disse...

Generosa 3por1, a quem devo a honra?
Muito obrigado pelas felicitações. Espero que O Calor É Humano possa contribuir para um quotidiano feliz. A humildade é toda minha.

dlx disse...

caro pedro como não sabes quem sou? ai ai andas cansado é isso :P hihi sou a rita aquela que nao vê o gmail porque nao gosta e que é contra o acordo ortografico
(mudei o meu user name mas tb n gosto deste, mas depois explico o seu proposito)

O Homem Terra disse...

Meu deus, uma mulher tão perfeita e logo com dois defeitos tão grandes ... não gosta do Gmail e é contra o acordo ortográfico!
Pronto... deixa lá ritinha, o resto de ti compensa :) Ahahah. Beijo.

Não me digas que vais criar um blogue?

dlx disse...

shhhh isso é segredo....mas olha até já sabes dos meus planos!
continua a escrever!

O Homem Terra disse...

Pois sei, pois sei :) e posso publicitar em antemão que são fantásticos.

Olha, queres fazer a festa de lançamento no meu blogue?

Aurora disse...

de um assalto ?
ó pedro....

do frio, da chuva, ou de uma crise espiritual seria infinitamente mais bem sonhado.

assaltos são feitos de movimentos bruscos e nada bons de se recordar!

carlota disse...

O Pedro sabe do que fala. Os assaltos são bem mais comuns do que o frio, a chuva ou as crises espirituais. Se estiver à espera disso nunca a vai conhecer.

Aqui estou eu a entrar no teu blog.
**

O Homem Terra disse...

Ahahahahaha grande carlota! Surge no momento chave! Para me defender!

Aurora, tens razão. Isto é a minha queda para a verosimilhança (sabes do que falo), que faz com que as minhas ideias toquem sempre nas coisas do meu dia a dia.

É que a carlota sabe bem do que fala! Aqui no nosso mundo suburbano somos talhados assim e é bem mais útil ter alguém que nos defenda nos assaltos. Malta dura esta de Massamá.

Então e se eu a salvasse de um assalto espiritual?

Um tipo chato a sugar-lhe a paciência e eu ia lá e dizia-lhe "meu, não vês que és um chato"

Beijos para as duas.

O Homem Terra disse...

PS: Ela é a mais sensual de Lisboa a seguir às minhas amigas que deixaram aqui comentários.

na me parece disse...

Ahahahah. Essa emenda final foi muito engraçada mas muito verdadeira, há que se dizer :)
Como foste desencantar tal beleza nas ruas de lisboa? Eu cá só vejo xunga para cá e xunga para lá nas ruas da nossa capital. O que vem fortalecer a ideia de que é bem mais provável salvar de um assalto do que de um chato. De qualquer maneira salva antes de um chato. O nosso colega Sérgio, do 5º ao 9º ano, tem um amigo que tinha (tempo verbal correcto) dois outros amigos que foram salvar alguém de um assalto.

O Homem Terra disse...

Demorei a responder ao teu comentário... essa situação é mesmo tramada.

Sobre as xungas da capital. Infelizmente tens muita (toda) a razão. Eu ainda me lembro de quando ia ao Bairro Alto e via passar raparigas bonitas. Parece incrível, mas é verdade.